Erasmus Darwin (1731 – 1802) foi um médico inglês que escreveu extensas obras científicas, sempre abordando temas relacionado a medicina e botânica. Erasmus era avô paterno de Charles Darwin e avô materno de Francis Galton.

Sua obra de destaque foi Zoonomia de 1792, nesta obra ele abordou aspectos acerca da evolução. Por exemplo: transmutação das espécies e mecanismos de seleção, ou seja, segundo ele os animais ou plantas com o passar do tempo sofreriam alterações. Teoria similar as destacada pelo seu neto anos posteriores.

O livro baseava-se nas observações das mudanças ocorridas em animais durante o desenvolvimento em plantas no cultivo, em animais na fase de domesticação. Erasmus também observou as semelhanças nos indivíduos de diversas espécies e suas diferenças.

Erasmus Darwin chegou à conclusão de que a evolução das espécies existia.Por muitos anos ele alimentou a ideia que de seus filhos dariam continuidades aos seus estudos.

Dos três filhos de Erasmus, apenas Robert Waring Darwin sobreviveu à fase adulta. Mas ele dedicou-se a medicina, e estava longe de ser um pensador genial e rebelde naturalista. Após a morte do Erasmus Darwin em 1802, sete anos antes de Charles Darwin nascer, Robert Darwin recebeu a herança cultural de seu pai, e ficou incumbido de cuidar como uma joia preciosa de família as teorias evolucionistas.

O pai do Charles Darwin lia para ele estrofes da Zoonomia, pois ele deveria seguir a tradição da família e continuar a obra de seu avô. Pressionado pelo pai, Charles Darwin continuou lendo “Zoonomia” e a “Magnum Opus Médica” que retratava sobre as leis da vida e a saúde.

Charles as leu com simpatia e ficou cheio de admiração pelo seu avô. Erasmus Darwin em seu livro levantou a hipótese de todos os animais de sangue quente descenderam de um único “filamento vivo”, como se pode observar no parágrafo extraído de seu livro.

“…seria ousadia imaginar que todos os animais de sangue quente tenham surgido a partir de um filamento vivo, que a grande causa primeira dotou de animalidade…?” (Zoonomia, 1795, section 39, “Generation”)

Charles Darwin é conhecido como pai da teoria evolucionista, mas não se pode ignorar que seu avô teve muita influência  em seus manuscritos. Mesmo Darwin o ocultando.

Referências.

DARWIN, E. Zoonomia. E Earle, Universidade de Michigan. 1818.

DESMOND, A. & MOORE, J., 1994. Darwin – The life of a tormented evolucionist. W.W. Norton & Company, New York.

Anúncios